Milton Ribeiro



Gosta de desafios, entra em tudo para vencer e os 17 anos em que foi treinador de futebol fez com que se tornasse num líder nato capaz que trabalhar a parte psicológica e motivacional de qualquer pessoa. Um background que, aliado aos mais de 13 anos de experiência no mundo dos cabelos, levou a que Milton Ribeiro conquistasse o seu atual cargo de diretor de educação da Alfaparf Milano Portugal.




De que forma é que as áreas do cabelo e da formação lhe despertaram interesse e entraram na sua vida?

Estou ligado à área dos cabelos há mais de 13 anos. Comecei como vendedor de cosmética capilar, num pequeno distribuidor, e durante as visitas aos salões é que fui ganhando o gosto pela profissão de cabeleireiro. Fascinava-me tudo o que via a acontecer dentro de um salão! Com o tempo, fui desenvolvendo a vontade de aprender e decidi tirar o curso de cabeleireiro.
Depois de trabalhar em dois salões, surgiu a oportunidade de trabalhar numa empresa de cosmética capilar como técnico/educador interno, durante 10 anos, onde, depois de várias funções, consegui conquistar o cargo de diretor técnico e onde tive a oportunidade de liderar e lidar de perto com excelentes profissionais que me ajudaram a crescer como profissional e como pessoa.
Sempre estive ligado à área da formação, tanto motivacional como comunicacional, e cheguei, até, a ter um hobby ligado a essa vertente: fui treinador de futebol durante 17 anos. A partilha de conhecimento e de experiências sempre me apaixonou. Ajudar outras pessoas com a partilha daquilo que eu vou aprendendo e adquirindo, sempre foi algo que me ensinou e me fez crescer.
No primeiro show de cabelos que organizei, ainda durante o curso de cabeleireiro, convidei dois responsáveis de duas marcas diferentes, o Manuel Neto, da Stilcoup, e o Simão Barbosa, da Servipel, que gostaram muito do que viram. Se um me convidou para a equipa artística o outro achou que eu me encaixava como técnico na marca que representava. Passado alguns anos, lá comecei a trabalhar como técnico/formador e percebi que essa era, realmente, a minha função neste mundo dos cabelos.


Desde 1 de setembro de 2022 que o Milton assume o cargo de diretor de educação da Alfaparf Milano Portugal. Como é que reagiu ao receber o convite para este cargo?

Tenho de admitir que foi um convite inesperado, mas lisonjeador. Já há alguns anos que estava a trabalhar numa empresa distribuidora de cosmética capilar e, admito que estava bem, aliás, estava confortável, no entanto, não sou uma pessoa acomodada. Já conhecia a Alfaparf Milano, por intermédio do seu embaixador em Portugal, o Jorge Silva, que sempre me falou muito bem da marca. Obviamente que pesei os prós e os contras, analisei melhor a empresa, e, depois de falar com a minha família, decidi aceitar o convite pelo desafio com que me deparava, a possibilidade de trabalhar com uma marca de referência e também pela sinceridade e honestidade com que o country manager, Miguel Franquinho, me transmitiu o que pretendia para o futuro da educação da Alfaparf Milano Portugal.


Como é que descreve estes últimos oito meses com a marca italiana número 1 do mercado profissional?

Desafiante. Aqui não há “tempos mortos”. Costumo dizer que vim para fazer acontecer e, na verdade, na Alfaparf Milano há sempre muita coisa para fazer acontecer. Somos uma marca de referência, uma marca premium, que o mercado está sempre atento e, acima de tudo, temos de corresponder às exigências dos nossos parceiros de negócio. É uma caminhada dura, no entanto, vale muita a pena todo o esforço e vermos as coisas acontecerem não tem preço.




Considera que esta experiência tem contribuído para o seu crescimento enquanto profissional? E a nível pessoal?

Tem contribuído imenso para o meu crescimento. Admito que não consigo distinguir o profissional do pessoal, estão intrinsecamente ligados e só assim é que vale a pena. Entrei na empresa em setembro e tenho a certeza que hoje sou uma pessoa diferente. Os desafios com que nos deparamos no dia a dia fazem-nos sair da nossa zona de conforto, todos os dias há um desafio novo e, como não entro em nada para perder, a responsabilidade é crescente. Por tudo isto que descrevo, posso dizer que me sinto mais capaz, mas com a certeza que ainda há muito para crescer e evoluir.


Quais as palavras de ordem que definem o Milton enquanto profissional?

Verdade, lealdade, gratidão e confiança. A verdade é o que sempre podem esperar da minha parte e é o que espero de todos aqueles que trabalham comigo, direta ou indiretamente. A lealdade porque, para mim, não há meio termo, sou sempre leal, digo o que tenho a dizer, não gosto de subterfúgios e estarei sempre pronto a ajudar, a esticar a mão a quem precisar e espero o mesmo dos outros. A gratidão porque não gosto de ingratos. Vivemos num mundo onde ninguém se preocupa com o teu esforço, mas sim com o resultado do teu esforço, no entanto, eu penso sempre que o resultado virá sempre na proporção daquilo que tu dás, do quanto te entregas e, se assim for, tens de ser grato pelo que tens, pelo que dás e pelo que recebes, detesto ingratidão. Por fim, mas não menos importante, a confiança – uma palavra que depende diretamente das outras três. Se não forem verdadeiros, leais e gratos comigo, de certo que não terão a minha confiança. Podem até ter a minha cordialidade, mas não mais terão a minha confiança. Uma vez quebrada, não a voltarão a construir.
 
A formação é uma paixão e a educação dos cabeleireiros é uma missão que encaro com um enorme sentido de responsabilidade, sempre com o intuito de fazer evoluir a profissão que abracei para a vida.


Para a Alfaparf Milano, a paixão pela cor é inegável. Também partilha este sentimento ou existe outra técnica/serviço que lhe desperta ainda mais emoção?

Para qualquer profissional de cabeleireiro a cor é o que nos define. No entanto, somos muito mais do que isso, assim como a Alfaparf Milano. Gosto de trabalhos de coloração e descoloração, gosto de madeixas, gosto de corte, de alisamento. Gosto menos de permanentes e penteados artísticos. Sempre estive mais virado para o sonho exequível, aquilo que não depende apenas da criatividade, mas muito do conhecimento. Assim como a marca que represento. Sabemos o que somos e onde queremos chegar.


Como é que define a relação que mantém com a restante equipa de educação?

Fui muito bem recebido. Notei que havia e há uma grande união na equipa, no entanto, uma mudança será sempre uma mudança, e acredito que não há líderes que são melhores do que outros, mas líderes diferentes uns dos outros. Recebi uma equipa madura com uma qualidade e potencial inegáveis. São capazes de tudo! Desde o início que os fiz entender que estava ali para fazer crescer a educação da marca e que apenas com a ajuda deles iria conseguir. Estou muito contente com a minha equipa e aproveito para lhes mandar um abraço daqueles que só nós sentimos. São a Alfaparf Milano Portugal Education Team, aqueles que vestem de negro, mas que têm a mente cheia de cor.


Na ótica de formador, qual a maior dificuldade demonstrada pelos profissionais que procuram as formações da Alfaparf Milano?

Os profissionais de cabeleireiro que trabalham com Alfaparf Milano são profissionais de excelência. E não digo isto para ficar bonito, mas sim porque realmente o sinto.
Há sempre trabalhos que nos desafiam mais do que outros, como os loiros, que são sempre o mais desafiante para qualquer profissional. No cômputo geral do mercado, os profissionais com vários anos de experiência não erram no avançado, erram no básico. Costumo fazer uma questão, em tom de brincadeira, mas com uma grande carga de verdade, que aproveito para fazer aqui: quantos de nós, com carta de condução há mais de 5 anos, passariam no exame de código, hoje? Pois é, a maior parte de vocês responde que não passaria, no entanto, conduzem todos os dias, ou seja, não se erra no avançado, erra-se no básico. E é isso que, nós, profissionais, não podemos esquecer. Como costumo dizer, na maior parte das formações, nós não vamos ensinar nada, mas sim relembrar o que os profissionais já sabem.




Quais as formações que destaca da agenda de 2023?

Quando entrei na Alfaparf Milano Portugal foi-me pedido, pelo country manager, Miguel Franquinho, para não se fazerem formações que fossem mais do mesmo. Situação que me agradou, até porque penso exatamente da mesma forma. O profissional de cabeleireiro não é apenas o vulgarmente chamado de cabeleireiro, o profissional de cabeleireiro é empresário, é terapeuta capilar, é também gestor de stock e recursos humanos e é, ainda, quem trata do marketing do seu negócio, logo não podíamos ficar com formações que fossem apenas para técnicas e tendências. Apostamos em formações fora da caixa, como o Visagismo, Redes Sociais & Fotografia, Beauty Business Plan – que é uma formação de inteligência emocional –, Gestão de Equipas, Gatilhos de Vendas e Relações Interpessoais.
Em conjunto com uma médica especializada em tricologia, criámos a formação de Diagnóstico & Saúde Capilar, a importantíssima formação de Geometria de Corte e tantas outras. Não nos esquecemos das formações de produto, tão importantes para que as clientes saibam como trabalhar e torná-lo rentável, contando com o apoio dos nossos advisers/formadores para levarem, até aos nossos parceiros de negócio, a paixão e conhecimento que os une à marca.
Em julho, teremos a masterclass Blonde Xperience com os estilistas internacionais Antonella Romita e Lorenzo Mascheroni, membros da nossa equipa de embaixadores globais, que nos vão trazer as mais inovadoras técnicas para conseguir entregar às clientes finais os looks tendência em loiros. E, em novembro, a reunião da família Alfaparf Milano, o meeting 2023 que contará com a presença do diretor criativo global, Rudy Mostarda, num show de cor, luz, som, sonho e magia, que decorrerá no Algarve.
Acreditamos estar no caminho certo, sabemos o que queremos, onde queremos chegar e qual o caminho a percorrer, por isso, iremos continuar a fazer sempre o nosso melhor.


Pode partilhar com os leitores da revista Beautyland quais os objetivos que traçou ao abraçar este cargo e se já cumpriu algum?

Quando cheguei à Alfaparf Milano Portugal, lancei um desafio à equipa que lidero: sermos, a médio prazo, a melhor equipa de educação em Portugal e sermos aqueles que melhor entendem e formam o profissional de cabeleireiro. Mostrarmos aos nossos parceiros de negócio que somos iguais a eles, que não é a diferença de altura que um palco nos dá que nos faz ser superiores a ninguém. Sermos humildes e respeitadores para com aqueles que nos mantêm na marca. Penso que estamos a caminhar degrau a degrau para atingir o que pretendemos.
Podem dizer que somos ambiciosos, mas o mundo assim nos obriga. Somos vaidosos da marca que representamos, mas cada parceiro de negócio nosso responsabiliza-nos para que lhes possamos entregar aquilo que os possa fazer evoluir. Sabemos que não iremos corresponder a todos, mas tenho a certeza que iremos continuar a evoluir e a dar o nosso melhor àqueles que escolheram a Alfaparf Milano como parceiro nesta caminhada difícil, mas exequível.
O nosso trabalho é realizado de profissionais de cabeleireiro para profissionais de cabeleireiro, mas acima de tudo, de pessoas para pessoas. Despeço-me deixando uma frase que me diz muito: Audaces Fortuna Juvat – a sorte protege os audazes. Não acreditamos na sorte, acreditamos em trabalho, empenho e dedicação. E é disso que podem esperar de toda a estrutura da Alfaparf Milano. Obrigado por estarem connosco.


 


Artigos Relacionados

FUMÉ BRUNETTE
Cabelos
FUMÉ BRUNETTE
Os castanhos iluminados estão na moda
Tendências de cabelos primavera / verão 2024
Cabelos
Tendências de cabelos primavera / verão 2024
As suas marcas favoritas destacaram as suas previsões
Ver
Ritual hop: transforming well-ageing
Cabelos
Ritual hop: transforming well-ageing
O tratamento de cabeleireiro anti-envelhecimento personalizado
Assine já