Para conteúdos exclusivos Iniciar sessão Registe-se

Fátima Souto



Fátima Souto é uma referência na área da cosmética natural.
A sua paixão pela estética e a vasta experiência adquirida levaram-na a criar a FS Pure Collection, que defende uma beleza natural, sem padrões, uma beleza de dentro para fora, onde o bem-estar e o equilíbrio emocional têm um papel fundamental. A Beautyland falou com a mulher que ajuda outras mulheres a encontrarem a sua verdadeira beleza.




Fale-nos um pouco do seu percurso e como a estética entrou na sua vida.

Dois grandes sonhos sempre estiveram presentes na minha vida: a estética e a música.
Esse sonhos levaram-me a sair da aldeia transmontana onde nasci e completei o meu percurso escolar.
Dadas as dificuldades financeiras, após concluir o ensino secundário, tive que ingressar no mercado de trabalho. Comecei pela área automóvel, como comercial e administrativa, onde aprendi e desenvolvi capacidades comerciais. Após quatro anos nessa área, surgiu a oportunidade de ingressar no curso de esteticista e cosmetologista na CEN, abrindo assim as portas para a concretização de um dos meus grandes sonhos. Concluído o curso, tive a felicidade de iniciar o meu trabalho numa empresa de representação de cosmética e equipamentos, onde desenvolvia o trabalho como esteticista, uma vez que esses distribuidores também tinham centros de estética. Paralelamente, ministrava formações às profissionais que adquiriam produtos e equipamentos. Posteriormente, recebi um convite de outro distribuidor em Portugal, pretendiam desenvolver um projeto de conceção, montagem e gestão de spas. Por ter trabalhado em distribuidores oficiais, tive acesso a um vasto portefólio de produtos, equipamentos e técnicas que alicerçaram todo o meu conhecimento, ampliando-me horizontes que de outra forma estariam limitados à informação que um centro de estética me poderia facultar.
Num momento seguinte, achei que deveria transmitir todos estes conhecimentos a futuras profissionais e assim decidi ingressar na formação profissional do IEFP e outras entidades privadas.
Em 2014, recebi um convite para representar a minha marca de cosmética de coração – Alqvimia – e assim nasce a FS Pure Collection. Foi a paixão que me moveu.




Quais são os principais desafios deste setor?

O setor da estética está muito fragmentado, existe um excesso de oferta de produtos sem fatores de diferenciação, razão pela qual a FS Pure Collection se afirma no mercado como uma empresa que aposta em representações que aportem exclusividade e respostas efetivas. Um dos grandes desafios é implementar a diferença, mudar o paradigma e recuperar a verdadeira forma de atingirmos a beleza.
Um outro desafio é elevar o patamar qualitativo das profissionais. Razão pela qual, a FS Pure Collection aposta fortemente na formação.
Por outro lado, a falta de conhecimentos de gestão faz com que o nosso mercado alvo seja difícil no momento da negociação.




Como avalia o mercado português?

Houve um aumento da procura e da oferta na vertente de unhas e cabelos. Um público demasiado preocupado com a utilização da estética na vertente meramente visual. O mercado está um pouco desequilibrado entre a estética exterior (unhas, cabelos, tratamentos visuais) e os tratamentos propriamente ditos (tratamentos de rosto e cuidados corporais). Esta tendência é visível pela proliferação de marcas para este mercado nas feiras de cosmética e uma retração no mercado dos produtos cosméticos e de equipamentos.
Neste momento, o público procura resultados imediatos, submetendo-se a tratamentos altamente agressivos e invasivos com muitos efeitos secundários a médio e longo prazo. Estamos numa sociedade que quer tudo rápido e fácil, aqui e agora! Um tratamento estético e cosmético não funciona dessa forma, necessita do seu tempo, é um tratamento contínuo e não algo efémero.
É necessário recuperar os métodos convencionais da saúde e do bem-estar, ou seja, recuperar a forma natural de atingir a verdadeira beleza.

Que tendências poderão ganhar destaque nesta nova década que se aproxima?

Iremos vivenciar um aumento da procura pelas cirurgias estéticas, preenchimentos e tratamentos invasivos.
Com as redes sociais, à distância de um clique, são influenciadas um elevado número de pessoas, criam-se estereótipos de beleza que o público quer copiar. Para se aproximar desses estereótipos, um segmento do público, recorre às cirurgias estéticas, pois é a única forma de conseguirem imitar as suas referências, uma vez que muitas delas obrigam a grandes alterações faciais e corporais, o que não é possível na estética convencional.
Assistimos neste momento a uma, cada vez maior, procura de cirurgias estéticas por parte de um público muito jovem, o que levará a um envelhecimento precoce.
Estamos a falar de técnicas altamente prejudiciais para o corpo humano, prejuízos esses que jamais serão recuperáveis e isso torna-se preocupante. Exemplo disso é o botox, que imobiliza o músculo e um músculo imobilizado atrofia, sendo a longo prazo quase impossível recuperá-lo, ou seja, entramos num caminho sem retorno. Devido às alterações físicas provocadas por esses tratamentos altamente agressivos iremos assistir a graves problemas emocionais, como depressões e falta de autoestima. A beleza é algo natural e não algo que se incorpora no nosso corpo. Por outro lado, temos uma pequena fatia de profissionais e de público final que já despertou e reconhece que a beleza não é algo meramente físico nem exterior, mas sim uma busca por um bem-estar emocional e uma boa saúde física, de modo a que tal se reflita no seu exterior. Comparativamente com a tendência anterior, esta cresce mas lentamente, muito por falta de formação e informação dos profissionais e do público. O mercado profissional também necessita de mudar o seu paradigma para uma vertente mais holística, entender a estética como algo mais interior que irá transformar o aspeto exterior.




O que considera mais importante passar aos profissionais nas suas formações?

A primeira referência que faço nas minhas formações é a importância do cuidado pessoal do profissional, pois se não se cuida jamais conseguirá cuidar de alguém, além de que não conhecendo profundamente a terapia que vai aplicar como é que a pode recomendar e adequar?
Menciono também a importância do conhecimento em anatomia e fisiologia do ser humano, pois na sua falta não se pode aplicar corretamente as várias técnicas, a cosmética e os equipamentos, o que compromete a obtenção de resultados. Um bom equipamento e um bom produto cosmético necessitam de profissionais qualificadas para os aplicar.
Outro assunto que abordo é a necessidade de não vermos a estética como algo meramente exterior. A beleza não é algo palpável, é o reflexo de um bem-estar emocional, que por sua vez proporciona uma boa saúde, refletindo-se assim num bom aspeto físico.
A estética deve realçar os pontos naturais de cada pessoa e não padronizar seguindo estereótipos. O que o ser humano é na sua essência e como o devemos trabalhar para a pessoa se sentir bem consigo. O que é importante é que as profissionais saibam informar os clientes de que a estética invasiva não é o caminho correto.
A profissional também tem de ter a capacidade de dizer “Não” a um cliente, aconselhando-o para a melhor terapia. O que lhes passo são as ferramentas para que apliquem uma estética curativa respeitando a natureza humana.
Quando ministro os cursos de aromaterapia classifico os profissionais de outra forma: como terapeutas de beleza. São profissionais que aplicam diversas terapias naturais com o propósito de alcançar a beleza que o público procura e necessita. A beleza deveria ser alcançada através de uma transformação pessoal a nível emocional, energético e físico.
Esta transformação deveria acontecer em primeiro lugar com o profissional para que este a aplique nos seus clientes. Um terapeuta em equilíbrio terá a capacidade de equilibrar os outros. Por fim, devem conhecer e aprofundar o conhecimento sobre a cosmética e o equipamento que estão a aplicar.




Num mercado com tanta oferta de produtos, serviços e equipamentos, com novidades quase diárias, como é que a FS Pure Collection se distingue da concorrência?

Representando marcas de equipamentos e cosmética de elevada qualidade.
Não seguindo tendências efémeras baseadas em conceitos meramente comercias e de marketing. Não somos uma empresa de modas, embora estejamos sempre atentos a novas descobertas úteis e com benefícios efetivos. Somos uma empresa que acompanha os seus clientes: ontem, hoje e amanhã!
Destacamo-nos pela excelência de serviços, proximidade e confiança dada aos clientes.

A sua empresa representa várias marcas de estética, como a Alqvimia, Medestec, Wherteimar e LiLash & LiBrow. Existe alguma característica que seja comum a todas e que faça questão de ter em conta no momento de representar uma marca?

São as melhores no seu setor!
A Alqvimia aporta-nos capacidade de resposta para todo e qualquer problema que o profissional possa ter em mãos para tratar.
A Wherteimar, uma marca suíça, baseada também num conceito natural que aposta fortemente no rejuvenescimento da pele, onde prevalece a qualidade e o rigor da tecnologia helvética. A Medestec que desenvolve a tecnologia de Diatermia, possui um departamento próprio de I+D com um método único e exclusivo no mercado.




Relativamente à Alqvimia, pode falar-nos do seu conceito de beleza/bem-estar global?

A Alqvimia é uma marca com 36 anos de mercado, baseada num conceito de cosmética natural e na aromaterapia. É a verdadeira forma de atingirmos a beleza porque os óleos essenciais são os únicos ingredientes que são capazes de atuar no nosso sistema emocional através do sistema límbico, local onde estão gravadas todas as nossas vivências, emoções, traumas, bloqueios, mágoas, etc. Os problemas emocionais provocam alterações no campo energético celular, que por sua vez se refletem em alterações físicas. Através do olfato, as partículas dos óleos essenciais vão diretamente a esse sistema e reequilibram esses registos, que estão a cada momento a comprometer o nosso bem-estar físico. Para que um óleo essencial tenha a capacidade de “transformar”, tem de reunir determinadas características indispensáveis:
 
  • • Tem de ser natural;
  • • Ser cultivado no seu país de origem;
  • • Colhido na fase astrológica de maior energia vital;
  • • O seu cuidado, desde o cultivo até ao produto final, deve ser feito por pessoas equilibradas e felizes. No fundo, ser produzido por pessoas que amem aquilo que fazem.




A Alqvimia aposta muito na beleza, no cuidado e no equilíbrio das mulheres. Vê a beleza como uma fonte de equilíbrio energético entre o Yin e o Yang. O desequilíbrio entre o Yin e o Yang está neste momento demasiado acentuado, estando a provocar alterações físicas no ser humano. A Alqvimia confere equilíbrio à mulher e uma mulher equilibrada vai conseguir mais facilmente equilibrar um homem, pois é mais fácil chegar ao homem através do sexo feminino. Neste momento, estamos a assistir a grandes doenças físicas, como cancros nos órgãos femininos e masculinos, sendo grande parte deles provocados por este acentuado desequilíbrio emocional da mulher. A Alqvimia tem ajudado as mulheres a recuperarem a sua verdadeira essência, atingindo a verdadeira beleza. A Alqvimia é um processo de transformação de cada ser na sua melhor versão física, energética e emocional, só assim conseguimos o que o público procura: o bem-estar geral.

A Alqvimia além de uma marca de cosmética é uma filosofia de vida, em busca da transformação.


 


Artigos Relacionados

Expocosmética Live Beauty Talks
Conversando
Expocosmética Live Beauty Talks
A união entre associações e profissionais do setor
Ver
Kikas
Conversando
Kikas
Um percurso de sucesso, glamour e muita dedicação
Uma vida dedicada à estética e à arte
Conversando
Uma vida dedicada à estética e à arte
À conversa com Dulce Rosselló
Ver
Fechar Registe-se
Fechar